Os efeitos da lista

Missão cumprida. Fiz a lista para compartilhar com amigos os discos dignos de serem ouvidos com atenção em 2009. Muita gente gostou. Muitos comentaram que não conheciam vários dos álbuns, e começaram a fazer os respectivos downloads para ouvi-los.

Uma das pessoas que leu a lista foi o Wilame Prado, que é cronista do O Diário. Ele fez então uma bela análise do álbum sob a perspectiva subjetiva de Otto, considerando o fim de um relacionamento longo com Alessandra Negrini (aquela gostosa! - se bem que só o próprio pernambucano pode fazer tal afirmação).

Segue a crônica, sem nenhum respeito aos direitos autorais:

Ouço Otto, penso em Alessandra

Acho que todos nós, pelo menos em algum momento da vida, sentimos-nos nojentos, asquerosos, rejeitados e até odiados pelos outros – assim como insetos.

Fico pensando que o músico Otto viveu na pele a insignificância de um inseto ao abrir os jornais e ler notícias (ou fofocas) de que, na época, sua mulher, a atriz Alessandra Negrini, beijara o bonitinho do Bruno Gagliasso ou se encontrara com o bonitão do Fábio Assunção.

É. Deve ter doído mesmo. Mas, também, pudera. Olha com quem ele foi querer mexer! Alessandra Negrini é a mulher mais espetacular que já vi na telinha. A morena é linda, e parece saber exatamente o que fazer para deixar qualquer moço a seus pés.

Tentando (não conseguindo jamais) esquecer da Engraçadinha da Alessandra, falemos um pouco das mazelas dessa vida. Penso que os sofrimentos não são em vão, ainda bem. Corriqueira, a vida é. Verdade.

E muitos artistas só conseguem produzir coisas profundas quando estão tristes ou solitários. É assim que se consegue enxergar o amargo da rotina, do dia pós dia, da completa repetição de fatos e transformar tudo isso em beleza – seja na literatura, no cinema, nas artes plásticas, no teatro, enfim.

Otto, que parecia estar vivendo um pesadelo sem tamanho, finalmente acordou. Acordou sim, mas, provavelmente suado e ainda com a imagem de Alessandra (eu avisei que não conseguiria esquecer) ao seu lado, “bem junto/na cama/de um quarto de hotel” – trecho de uma das mais emocionantes canções de seu último CD, o maduro e bonito “Certa manhã acordei de sonhos intranquilos”.

O inseto arretado e pernambucano Otto acordou, sim. Comprovo isso em outro trecho da canção: “Nasceram flores num canto de um quarto escuro/Mas eu te juro, são flores de um longo inverno”. Para a alegria de quem já curtia suas músicas e não aguentava mais esperar o lançamento de um novo trabalho, finalmente as flores musicais de Otto renasceram.

O músico acordou, fez um gargarejo com folhas de romã e está com uma bela voz. E não pensem que seus sonhos intraquilos abalaram, por exemplo, seu sotaque marcante de nortista ou o gosto pelo brega. O poeta Otto saiu do casulo, minha gente. Está na praça de novo. E transformou todo seu sofrimento do passado num dos melhores discos nacionais do ano de 2009.

Muitos não curtem os trabalhos anteriores de Otto por achar experimentalistas demais. Eu era um deles. Pois eu digo que, agora, em “Certa manhã acordei de sonhos intraquilos”, já com 41 anos de idade, Otto acertou o alvo e soube trabalhar bem com suas possibilidades.

Fazia tempo que não chorava ouvindo música e prestando atenção na letra. Devo ter ouvido mais de cinquenta vezes as faixas “Crua” e “6 minutos” do CD. Nesse prazer de ouvir as canções de Otto, continuo chorando, emocionado, agradecido e, indubitavelmente, pensando em Alessandra Negrini.

Maravilha, não?

4 comentários:

rannah disse...

"aquela gostosa" UAHAUHAUH
charme chulo hoje, hein?

fosforos disse...

Ela é gostosa, mas eu prefiro a Heineken!

Bruno Vicentini disse...

quem é esse Willame? vai se foder, mandou muito! só disses verdades inteiras. e eu chorei com as mesmas músicas. gostei muito da lista, mas o Otto com certeza dá um banho de maturidade nos Pullovers, que acertam como quem ganha na loteria, ao contrário do Otto que é mais como (não, eu nunca vou conseguir fugir dos meus clichês) um jogador de poker.

os melhores sonhos intranquilos de 2009.

Wilame Prado disse...

Hahaha. Valeu Zanata! E como dizem por aí: "direitos autorais de cú é rola"! Risos. Obrigado pela diulgação aí da crônica. Massa! Mandou sinceramente bem quando escreveu: "aquela gostosa", a gente afirma isso até meio com raiva! Valeu também pelo "quem é esse Willame? vai se foder, mandou muito!", caro Bruno Vicentini! A gete se vê no Charme Chulo Zanatta! Abraço!

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação