O comeco da jornada e Frankfurt

Olá, meus amigos. Consegui um tempinho no meio do mochilão pra postar neste querido blog, já que o Hostel aqui de Berlin tem internet no quarto.

Bom, eu não sei nem por onde comecar. Foram dias tão intensos esses últimos em Londres, esvaziando o quarto, fazendo as malas, olhando coisas que se tornaram tão familiares talvez pela última vez. E agora, depois de dias tão velozes, estamos aqui, desbravando o continente europeu.

OK..recapitulando..acordamos 03h e meia da manhã no dia 27 de Dezembro (ontem) e terminamos de arrumar o mochilão. Saímos de casa exatamente às 04h11min e chegamos no ponto de ônibus CL da National Express em Finchley Road às 04h17min. O ônibus chegou às 04h18min.

Depois de uma hora e alguns minutos dentro do ônibus, chegamos em Stansted. Lá fica o Stansted Airport, onde a RyanAir faz a maioria dos seus vôos. Encontramos o Rodolfo e a Marília às 05h40min e fizemos o Check-In automático pra pegarmos nossos cupões de embarque. Troquei £ 400,00 por € 400,00 somente pra garantir (já tinha trocado mais Euros no dia anterior). Ridículo! Paguei 1 por 1! Mas infelizmente teve que ser assim, estamos viajando no pior momento da Libra em relacão ao Euro..a moeda européia está muito forte.

Embarcamos pro vôo às 07h00 no apertado avião da RyanAir. Sentei na janela, o lugar mais divertido. É mais divertido porque você se sente um satélite do GoogleMap dando um ZoomOut no mapa...que sensacão estranha é essa a da hora que o avião levanta vôo.

Fiquei com o iPod curtindo a visão. Depois de umas músicas chegamos no destino. O avião decolou às 07h40min e chegou às 09h15min em Frankfurt-Hahn. Na verdade, chegamos às 10h15min no horário alemão.

Depois de um tempo na fila do controle de imigracão, passamos sem maiores problemas e fomos procurar o ônibus pra Frankfurt am Main. Isso porquê Frankfurt-Hahn não é a famosa Frankfurt. E essa é a jogada da RyanAir, ela vende vôos pra cidades vizinhas. E eu comprei a passagem pensando que Frankfurt-Hahn era Frankfurt, sem perceber que na real a cidade fica à 126km de Frankfurt am Main.

Mas tudo bem, sem zicas. Pagamos € 12,00 cada um e pegamos um ônibus pra Frankfurt am Main. Gracas a Deus entramos naquele ônibus, porque o frio de -1 naquele aeroporto estava insuportável.

Chegamos na estacão central de Frankfurt mais ou menos umas onze e meia. Varados de fome, fomos logo comer um salsichão dentro do pão - lanche mais típico aqui da Alemanha! (e dá-lhe ketchup e mostarda no pãozão!)

Comecamos a andar. Primeiro, demos uma volta pelos skyscrapers (arranha-céus) de Frankfurt. Eles são realmente gigantescos e imponentes. O European Central Bank foi um dos que mais chamou minha atencão, principalmente pelo símbolo gigantesco do Euro (que eu senti no bolso ao fazer essa viagem!). Depois andamos pelo distrito financeiro e chegamos em largas pracas de concreto, passando pela Goethe House.

Depois de ver o lado moderno de Frankfurt fomos andando até o Main River para ver um lado mais antigo da cidade. Da ponte, se vê as belas St. Bartholomeus's Catedral de um lado e St. Katherine's Church do outro. Nesse aspecto, acho que só mostrando o álbum de fotos pra você ter uma nocão de quão belas essas igrejas são.

Fomos ver a St. Katherine's Church de perto, mas não entramos na igreja. Logo após cruzar o rio pra ver prédios históricos, fomos andando até nos depararmos com o old city hall, também conhecido como Römer. Essa parte da cidade é a velha prefeitura e tem uma arquitetura única e esplêndida.

Depois de cruzar o centro velho, encontramos a St. Bartholomeu's Cathedral. Essa catedral tem arquitetura gótica e foi construída no século 15. Muitos imperados foram coroados ali. O lugar é fera e impressiona.

Bom..depois de ver o contraste entre o distrito financeiro e o old city hall, tomei mais um choque ao caminharmos na The Zeil - a maior rua comercial de Frankfurt. Digo que tomei um choque porque é simplesmente igualzinho uma rua de comercial de Londres, com AS MESMAS lojas. A única diferenca são as atendentes falando alemão (ô língua difícil de entender!).

Entramos numa galeria comercial pra tomar um café. Ficamos um tempo descansando lá. Turismo cansa! E muito!

Depois desse rolê no centro capitalista de Frankfurt voltamos a andar e procurar prédios históricos. E não é que o melhor estava guardado pro final? Andamos até chegarmos no Alte Oper, ou Old Opera House. A arquitetura é deslumbrante e o fato de ser pôr-do-sol e o prédio estar iluminado por fortes luzes laranjas (não do Sol, mas sim mecânicas colocadas em pontos estratégicos) tornou a visão ainda mais bela. Eu gastei belos minutos somente contemplando a beleza daquilo e imaginando como será que era quando ela estava em ruínas. Digo isso porque o Old Opera House foi considerado a mais bela ruína de guerra alemã. Durante a Segunda Guerra Mundial essa casa de ópera foi bombardeada e arrasada, até que na década de 80 o governo alemão reconstruiu com base no original de 1880.

Depois dessa aula de história viva fomos andando até a estacão central de Frankfurt, mas nos perdemos. Pedidos informacão e um rapaz nos disse que era melhor pegar o underground, conhecido aqui como U-Bahn. Entramos então no U-Bahn sem pagar e descemos na Frankfurt Hauptbahnhof (central station - eu disse que essa língua é de lascar!).

Exaustos, pegamos o trem às 18h20min em direcão à Berlin. Ao entrarmos no trem, nos deparamos com um transporte de primeiro mundo. Como tinhamos feito a reserva prévia, ficamos com uma cabine pra 6 pessoas (eu, Pri, Vini, Rodolfo, Marília e Gabriela) e ficamos tranquilos assistindo Lost no notebook que eu levei (e que escrevo nesse presente momento).

As quatro horas da viagem passaram voando e chegamos em Berlin às 22h30min.

Desembarcamos em Berlin Hauptbahnhof e conforme dizia nosso guia do HostelWorld com a reserva do hostel, pegamos o S-Bahn. Pegamos o overground sem pagar mesmo, e caso algum fiscal viesse cobrar o ticket, diríamos qualquer desculpa em inglês. Descemos na estacão de Alexanderplatz e pegamos o U-Bahn até a estacão do albergue.

Fizemos o check-in umas 23h40min no hostel e viemos pro quarto. Um quarto com três beliches, acomodando seis pessoas - com banheiro dentro do quarto. Tomamos banho, um de cada vez (não pense bobagem, caro leitor!), e descemos eu e o Vini pra comprarmos umas cervejas no Bar do Hostel. Compramos 3 Becks (uma pra Pri, uma pra mim e uma pro Vini) e bebemos com prazer. Capotamos na cama uma da manhã.

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação