Even better than the real thing

Desculpem a falta de atencao para com o blog, e' que mesmo tendo computador com internet em casa, gasta-se o pouco tempo de folga para atualizar fotos no orkut, usar o MSN e fazer outras besteiras (nao, nao pense em site porno). Foi mal.

Bom, eu falei de quinta-feira (o dia muito maneiro com o tigre), mas nao da sexta-feira! Ah, essa sexta-feira foi demais, foi demais..e pra variar, tudo aconteceu do nada.

O dia tinha sido longo, a labuta tinha comecado cedo, acho que as oito horas da manha. Alem de trabalhar o expediente normal (das 08h as 17h), havia um evento extra que iria ate' nove horas da noite. O evento era uma especie de bowl buffet (aperitivos servidos numa cumbuca) com drinks sendo servidos, comemorando o ultimo dia da Sarah Bright, a Sales Cordinator do London Zoo, Conference and Banqueting (nosso departamento).

Pois, bem. Passei o dia todo trabalhando duro, servindo em bandeijas pesadas e estava morto. As nove horas o evento encerrou e todo mundo (os 30 convidados) foi para o "Zoo Social and Sports Pub", um pub somente para o staff do London Zoo. Quando deu dez horas da noite eu nao queria saber de mais nada. Ja' estava frustrado, pois queria que a jornada tivesse acabado as nove horas da noite, pois assim dava tempo de ir na Zavvi e comprar o DVD do Taxi Driver pela bagatela de cinco pounds. Enfim, estava chateadao e so' queria ir pra casa dormir, pois oito e meia da manha teria que voltar ao trabalho.

A mafia polonesa, composta por Gosha, nossa chefe e Events Manager, Slawek, chef, e Natalia, Hospitality Assistent (como a gente), estava pronta para ir ao Pub e ficaram nos chamando:
-Come on, guys, let's go to the pub!
-Oh no, thanks, but we're tired.
-Come on, it's gonna be fun!
-I know, but thanks.

Pegamos nossas mochilas, nos despedimos e fomos embora.

Enquanto cruzavamos a rua da saida do Zoo esbarramos com a mafia polonesa, que nos fez um ultimo convite:
-Hey! Let's have fun! Drink a beer! - disse Gosha.
-Only if you pay us a pint - arrisquei com aquele escracho.
-OK, fair enough.
Ai' a galera animou! Rodada de pint de graca pela chefe ninguem nega. Isso e' um presente de Deus!

Entramos no pub lotado de funcionarios e reconhecemos algumas faces, que estavam na despedida da Sarah. Muitos estavam completamente bebados, pois foi Open Bar a festa anterior que trabalhamos. Esbarrei com dois rapazes que havia jogado futebol. Eles trabalham no Gift Shop. Trocamos um rapido papo, e ja' partimos para o balcao, em busca da sonhada cerveja-na-faixa. O pub, muito pequeno e aconchegante, tem uma mesa de sinuca, dardos, algumas televisoes (para dias de jogos), um improvisado dancefloor, o balcao dos bebados e uma area externa para fumantes. No balcao, muitas placas hilarias, como uma da taverna do Moe (The only place that we don't know your name), e outra escrita "BEER: Helping ugly people to have sex since 1878".

A Gosha pegou os sete copos (uma para mim, outro pro Vini, pra Pri, pro Lulu, pro Slawek, pra Natalia e um pra ela) e finalmente brindamos no velho tom britanico:
-CHEERS!

Fomos todos pra fora e ficamos batendo um papo enquanto a Gosha e a Natalia fumavam um Marlboro Light polones. Com o advento do estomago vazio, rapidamente o pint bateu rapido e o ingles ficou tres vezes mais fluente, bem como as coisas ficaram mais suscetiveis `a risada. Como bebado sempre acha que e' rico, me ofereci pra pagar a segunda rodada. E fui. O Lulu me ajudou a carregar os copos (imensos, cada pint tem 580ml) e bebemos mais um pouco. Bebemos tambem o copo da Natalia, que estava muito lenta.

Depois de alguns minutos, estavamos conversando com nossos chefes (ja' bebados). Dois sao franceses, dois ingleses e uma polonesa.

Depois de um tempo ja' estavamos tomando o copo deles.

Bom, como bexiga nao e' ralo eu fiquei com vontade de mijar e nao sabia onde era o banheiro. Levantei, dei uma volta no bar e nao achei nada. Voltei na mesa e gritei pra Pri:
-Pri, where's the toilet?
-Upstairs.

Claro! Upstairs, so' poderia ser la'. Era o unico lugar que eu nao havia entrado. Entao la' fui eu, com passos bambos e alegres, subindo os degraus. Cheguei no andar do topo e me deparei com uma porta. Abri sem hesitar. Estranhei a limpeza do banheiro masculino e pouco me importei com o fato de nao haver ali mictorios, mas somente duas portas com privadas. Pensei:
-Nossa, que banheiro maneiro.
Estava observando aquele liquido transparente saindo do meu corpo, cantarolando ao som de Bee Gees, quando ouvi uns passos de salto alto.
-What tha fuck? Pensei num ingles bebado.
Abri a porta e somente vi um vulto saindo. Nao sei porque, mas nao lavei a mao e abri a porta, em direcao as escadas. Me deparei com uma loira, cara de australiana, que virou pra tras e gritou com susto:
-AH! You're not a woman!
-No, I'm not. - respondi com um olhar de bobo.
-You were in the ladies toilet!! - ela gritou com uma risada extremamente juvenil e alcoolizada.
-Sorry! - disse com timidez. -I didn't know where the boy's toilet was.
Ela riu da minha cara, subiu dois degraus, se posicionando bem proxima de mim e disse surrurrando:
-OK, I won't tell anyone.
-Right. - respondi em sussuro, compartilhando aquela brincadeira breaca.
Eu senti que precisava quebrar aquele clima, entao estiquei meu dedinho direito e disse:
-Give me your finger, let's make a pact. So you won't tell anyone.
-OK. I promise - ela disse baixinho enquanto apertava o meu dedinho.
Ficou um silencio estranho por uns tres segundos, ate' que ela, como se percebesse algo muito errado, olhou para o meu dedo e disse:
-You didn't wash your hands!!
-Yes, I did. - respondi mentindo.
-No you dind't! I didn't hear any sound!
Fiquei em silencio, pois sou um pessimo mentiroso.
-That's disgusting!! - ela gritou, descendo a escada rapidamente e rindo.

Desci as escadas dando algumas risadas e nos deparamos com dois ingleses de uns quarenta/cinquenta anos, um deles vestido somente com um colan roxo, como se fosse um travesti ou um bailarino aposentado. Assim que os avistamos, a loira bebada esbravejou:
-THIS GUY! HE WAS IN THE LADIES TOILET!!!
Cai na risada, pensando "traidora filha-da-puta".
-AND HE TOUCHED HIS PENIS AND THEN TOUCHED MY HAND!!
Os caras estavam se matando de rir, mas eu estava na defensiva, tentando argumentar:
-No, but I touched her only with my little finger. I don't hold my penis with them all.
-Lier! Of course you do! - ela disse, cuspindo algumas gotas de cerveja.
-Sometimes you just hold with this two finger - interrompeu o gordao ao lado do sujeito de colan, mostrando somente o dedao e o dedo indicador.
-Yeah, that's true - disse, na esperanca de convence-la.
-But his penis is dirty! - ela disse como se conhecesse meu sexo.
-I washed, come on!
-But only in the morning!
Todos cairam na risada e nos despedimos. Mulher louca.

Sentei novamente na mesa e contei para o pessoal o que tinha acabado de acontecer. Todos se mijaram de rir. Voltei a tomar minha cerveja com a Pri e o vi o Vinicius com um gordinho (que eu conhecia por ter abrido o portao do salao um dia) se matando de dar risada e apontando para mim. Pensei: "pronto, fudeu. Agora todo o bar ta' sabendo da historia."

Levantei e fui em direcao ao gordinho, pronto pra ouvir alguma chacota. Mas nao, o gordinho so' tinha me reconhecido e estava rindo com o Vinicius por outra razao.
-Hey! Do you remember me?
-Of course, mate. From that day in the gate!
-Yeahhhh, I'm Jimmy!! - ele gritou num sorriso faceiro.
-How r you doing', mate? - arrisquei no sotaque de rua londrino.
-Not too bad! And you, awright? - ele disse num sotaque muito diferente.
-Yeah, yeah!

Ele me apresentou a chefe dele que estava completamente lobassa dancando twist em frente ao balcao e me apresentou ao seu colega, duns trinta anos, todo tatuado, dentes tortos e vindo de Glasgow, na Escocia.
-Where r you from?
-Wales!
-So you're from the north? - arrisquei, pensando na Escocia.
-No, I'm from the south!! Wales!! - disse Jimmy com seu rosto bolachudo e vermelho.
-Do you wanna a beer? - ele perguntou
"Que pergunta cretina", pensei parafraseando Caue.
-YEAH MATE! - respondi faceiro.
Enquanto a chefe dele se arreganhava dancando twist, ele sagazmente abriu a bolsa dela e pegou uma nota de dez pounds:
-She won't mind. She's drunk, look at her - Olhei para a mulher e ela estava pra la' de Bagda' mesmo.
A Pri, como nao e' boba, logo chegou do lado e o Jimmy ofereceu uma beer pra ela. Logo eu introduzi toda a galera e nos ficamos conversando numa roda em frente ao balcao. Conversamos sobre Trainspotting, Joe Calzaghe (boxeador gales conhecido aqui em Londres) e muitos outros papos de bebado.

Alguns minutos depois estavamos completamente mamados e cantando o hino do pais de gales:
-WAAAAAAAAAAAAAALES FOREEEEEEEEEEVEEER! WAAAAAAAAAAAAALES FOREEEEEEEVEEEEEEEER! FEEEEEEEEEEEEEED MEEEEEEEEEEE FROOMMMM THE SKYYYYYYY!!!!!!

Sem brincadeira, cantamos esse hino umas 15 vezes no meio bar, chamando a atencao geral. Estavamos abracados e, por um instante, pareciamos que eramos mesmo todos um bando de bebados do Pais de Gales, cantando por uma terra livre e farta. Hahaha. Loucura.

Nos despedimos, pegamos nossa mochila e fomos embora.

Dei minha primeira mijada bebada na rua, esperando o onibus 13 em St. John's Wood.

Fomos pra cama duas da manha e acordamos 6 da manha no outro dia, com o som de WALES FOREVER ainda ressoando em nossos timpanos.

Foi uma noite longa. Mas valeu a pena.

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação