O plano de austeridade britânico

A crise econômica mundial de 2008 está começando a trazer conseqüências sérias para o mundo todo. Alguns falam em fim do Euro e da União Europeia. Outros falam em decadência total do império americano (desde o pós-guerra) e reposicionamento geo-político das potências emergentes, como Brasil, Índia e China.

Nos bastidores, muito é debatido, mas sem fazer barulho. As instituições financeiras criam novos planos de austeridade, que serão seguidos por todo os países do ocidente.

A Grécia foi apenas o primeiro a quebrar (e quase entrou em verdadeira guerra civil) e assinar um plano se comprometendo a implementar um novo modelo econômico-fiscal.

Fala-se em fim da democracia no Estado e o surgimento da bancocracia, o governo dos Bancos.

Na política, uma dos resultados da crise é a volta dos partidos conservadores ao poder. No Reino Unido, especificamente, o político anglicano David Cameron, de 43 anos (membro da aristocracia inglesa), venceu as eleições de 2010 e elegeu-se Primeiro Ministro do Reino Unido, vencendo o Partido dos Trabalhadores (Labour's Party) em Maio.

Em pouco tempo, Cameron reestruturou os Ministérios do governo britânico junto a líderes conservadores com a promessa de tirar o Reino Unido da crise econômica em que está assolada.

O Reino Unido declarou no mês passado que fechará sua política econômica e que não mais fará parte da União Europeia, o que provocará, segundo alguns estudiosos, uma verdadeira realocação política da Europa, isolando a ilha britânica do bloco econômico continental.

Hoje, dia 22 de Junho, o Ministro da Economia (Chancellor of Excequer) George Osborne apresentou na House of Commons o plano orçamentário de emergência britânico 2010-2015, anunciando o aumento do VAT de 17,5% para 20% e severas reduções nos gastos públicos.


Este Orçamento define um plano de cinco anos para reconstruir a economia britânica com base em valores do Governo de responsabilidade, liberdade e justiça. Ele mostra como o Governo irá realizar o plano da Grã-Bretanha de redução inevitável do déficit de uma forma que fortalece e une o país.

A economia britânica tornou-se desequilibrada. Tem sido muito confiante no crescimento de um número limitado de setores e regiões. Superar estes desafios exigem um novo modelo de crescimento econômico construído sobre poupança, investimento e empreendedorismo, em vez de dívida. Este Orçamento é o primeiro passo na transformação da economia e abertura do caminho para guiar o crescimento sustentável do setor privado, equilibrado entre regiões e indústrias.

Pela manhã, em Londres, o Primeiro Ministro David Cameron e o Ministro da Economia George Osborne anunciaram o plano orçamentário.

O discurso de Osborne ilustra a situação crítica que a economia capitalista neoliberal enfrenta hoje.

Assista abaixo o vídeo da British Broadcasting Company. A situação é tensa. A economia britânica está a beira do colapso e tudo pode acontecer nos próximos anos (sim, estou falando de uma dura crise, sem precedentes na história contemporânea).


Acompanhe o discurso, na íntegra, ainda sem tradução (texto em inglês).
UK budget 2010 - George Osborne's speech

Estamos caminhando para uma nova ordem mundial?

2 comentários:

Rafael Zanatta disse...

The chancellor told MPs: "It is a balanced package that will send the signal that Britain is open for business."

É sempre uma questão de mercado.

Rafael Zanatta disse...

A educação também sofrerá redução de 25%! CONGRATULATION, LADS!

http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/education/10378384.stm

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação