John Coltrane


Básico. Essencial. Obra-prima do jazz.

A love Supreme de 1964 é, na minha opinião, O ÁLBUM pra quem quer começar a sentir o jazz. Depois desse disco você fica encantado, bobo, sente a música pulsar nas artérias.

É frenético, é algo meio que Ron Burgundy (Will Ferrell) naquela cena do filme O Âncora tocando flute jazz. Dá vontade de sair tocando e pisando nas taças sob as mesas. Filme bobo (e hilário), mas o espírito é esse.

"Obra-prima por excelência, momento único da música. Como se fosse um missal de notas e sons, o álbum é dividido em quatro partes — Aknowledgement, Resolution, Pursuance e Psalm. Uma execução sagrada e secular, algo como uma Missa Solemnis, segundo Coltrane. Mais que um jazzista, para os críticos, Coltrane era um pregador sem palavras, ou por outra: sua palavra se valia da linguagem jazzística no sentido de uma “panevangelização” de sentimentos elevados através da música. Tecnicamente, os temas já expõem a nova realidade modal. Como apregoaram os críticos, uma louvação a alguma divindade, onde o poder de Deus pode também ser ouvido como uma afirmação do poder criativo da humanidade. De qualquer maneira, a sua visão mística já estava instaurada, de tal arte que seria um componente constante na carreira de Coltrane até o fim de sua carreira. Como disco, A Love Supreme bateria todos os recordes de vendagem para um gênero tão “difícil” e o seu alcance de público foi algo inimaginável, transcendendo a esfera dos meros diletantes da sua música."

File

É isso aí, gente. Pra quem só é fã de rock, dá uma ouvida nesse álbum. Com certeza, sua conceito de jazz vai subir. "Jazz é coisa de careta" é o caralho! Abraços.

4 comentários:

Rafa Cardoso disse...

Fala Rafa, tudo beleza?!
Agora é minha vez de passear aqui pelo teu blog, hehe.
Sobre gostar de rock, a gente não escolhe, o rock pega a gente e não solta mais, hahaha.
Mas tem que saber sim sobre jazz e blues e Coltrane é fóda.
Quem quiser saber mais alguma coisa sobre esse jazz clássico fica aqui minha dica. Ouçam Dave Brubeck, mestre do cool jazz.

Abração Rafa, até a próxima.

prisci disse...

uheuehuehueh vcê ficou de me mostrar esse "jogo louco" aí!

;** te amo

prisci disse...

ah, ps.: ve se d� uma passadinha no meu blog jho jho s� pra variar ;*

FPM disse...

Maravilha de post!!! Parabéns!

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação