Apanhado musical independente

No decorrer dessa última semana muita coisa bacana, em termos musicais, rolou aqui em São Paulo.

Na terça-feira, por exemplo, fomos até a FNAC-Paulista e conferimos de perto o pocket-show da banda gaúcha Apanhador Só, que lançou um dos melhores discos independentes de 2010.



No palco da livraria, num show sintético e intimista, eles apresentaram músicas do disco homônimo e novas composições em versões acústicas - sem deixar de utilizar os inúmeros instrumentos inusitados (uma das marcas registradas da banda).

No dia seguinte, na quarta, fomos até os estúdios da MTV (Sumaré) para a gravação do show dos nossos amigos da banda Nevilton. Lá, antes da apresentação do grupo - considerados pela revista Rolling Stone como uma das maiores revelações da música independente nacional -, acompanhamos ao vivo a transmissão do programa de verão "Tem Uma Banda na Nossa Casa", que contou com o trio de Umuarama na última edição. A gravação do programa aconteceu no dia 06/02. Observe bem que você verá a Priscila, eu e o Carlão dançando o "rock presidencial". Demais!



O show do Nevilton após o programa (que terminou as 23h) foi transmitido ao vivo pela internet. Felizmente, alguns amigos conseguiram ver a apresentação (como o amigo Lucas Trabuco, da banda maringaense Eco Estático), que foi sensacional. Não sei ao certo quando a MTV passará o show em sua programação, mas posso garantir que foi um dos melhores shows do Nevilton: cheio de energia, riffs, solos e pulos.

Depois do show, fomos convidados para uma festa da produção (open bar) e nos acabamos no dancefloor. "Festa jovem". Lá conheci o baterista da banda curitibana Sabonetes e conversamos muito sobre a cena independente paranaense - que está em alta.

No sábado, fomos convidados pelo Cauê a assistir a um show de estreia de um bluesman de São Paulo, Diego Martins. Aliás, bluesman não, blueskid. O cara tem apenas 20 anos de idade - e toca muito. O show, que aconteceu no auditório da Livraria Cultura do Market Place Shopping, foi marcado para celebrar o lançamento do primeiro disco do guitarrista/cantor. No show, Martins e sua competente banda tocaram diversas composições próprias, mescladas com clássicos como Cherry Red Wine.



Foi legal ver tanto talento numa pessoa que não se paga de estrela. Diego Martins fez uma apresentação ligeiramente tímida, mas com muita personalidade. Em sua Fender creme, fez solos incríveis, sem perder a humildade. Está aí um grande guitarrista da nova geração. Assim como ouvi de uma pessoa do auditório: "se eles tem Johnny Lang, nós temos Diego Martins".

Pois bem. Essa foi a semana musical aqui em São Paulo, pelo menos a parcela que eu tive a chance de prestigiar (e faço questão de compartilhar, especialmente pra quem não conhece esses artistas da nova geração).

E amanhã tem Arnaldo Antunes, Paulo Miklos e amigos no Inferno, aqui na R. Augusta. Maravilha, não?

2 comentários:

Bruno Vicentini disse...

Seguinte, já que esse seu mestrado aí é de dedicação exclusiva, você vai ter que passar as novidades musicais de São Paulo diretamente aqui pro interior do milho o mais rápido possível e esse vai ser seu trabalho! Prontocabou.

E vê se vai ver um show da Blubell aí! Pilantra.

Hugs.

Rafael A. F. Zanatta disse...

Bruninho, quando você vem?

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação