RATM, o som da adolescência

Pois, é. Está confirmado mesmo. A lendária banda Rage Against The Machine tocará no Starts With You (SWU) Festival dia 09 de Outubro. Essa semana está impossível em termos musicais, a cada dia surge uma notícia inesperada. Primeiro anunciaram mais um show do U2, depois do Pavement, agora esse.

Me faltam palavras na hora de escrever sobre o Rage. É complicado. Tenho muita ligação com essa banda. Acho que quis aprender a tocar guitarra por causa do Tom Morello e sempre quis ter uma banda com a pegada desse quarteto de Los Angeles.

Quando era adolescente, lia livros sobre Che Guevara ouvindo The Battle of Los Angeles (1999), um dos discos que comprei com as economias do lanche junto com o Nanan. Em certa medida, deixávamos de comer para comprar nossos discos de rock favoritos - por mais "piás de prédio" que fossemos. Era uma emoção grande finalmente comprar o disco, curtir as músicas aos poucos, entender as letras. Hoje tudo é muito rápido, imediatista e efêmero - bem diferente da relação que tínhamos com a música até poucos anos atrás.

Lembro que na segunda ou terceira aula de violão no SESC, levei o recém comprado disco do Rage e pedi pro professor cifrar a música "Sleep Now In The Fire". Naquela época eu não tirava as músicas de ouvido. Meu grande sonho era tocar essa música.

Um ano depois, em 2000, montamos uma banda: Renegados (em clara homenagem ao RATM, que lançara o disco Renegades - um disco somente de versões de músicas idolatradas por Zack de La Rocha, Tom Morello, Tom Commerford e Brad Wilk). Ensaiávamos no porão da casa do Ivan Pigozzo, que era o baterista. Naquela época, o Renan tocava baixo, eu, guitarra, e o vocalista era o Michel - que também empunhava uma guitarra, quando era necessário.

O repertório era basicamente Rage Against The Machine. Fizemos até um show bizarro no Bar do Velho, na rua Santos Dummont (alguém de Maringá se lembra desse bar?).

Enfim. O Rage fez parte da minha adolescência. Eles foram um dos grandes nomes da década de noventa. Por isso, separei cinco clipes incríveis da banda, que retratam bem o que é o Rage: música, política, ativismo social, energia.

Nostálgico!!!

Testify, do álbum The Battle of Los Angeles (1999).


Bulls on Parade, do álbum Evil Empire (1996).


Renegades of Funk, do álbum Renegades (2000).


Bombtrack, do álbum Rage Against The Machine (1992).


Freedom, do álbum Rage Against The Machine (1992).


Porrada!

4 comentários:

prisci disse...

hehehe que cuti ;)

Relação bonita mesmo. Com o Rage. Com o rock. E posso até dizer que peguei essa sua fase ein, rafa_korn???

Cabeludo - cabelo de índia; pulseiras de reggae e madeira; estilo super descolado; olhinho pequeno e todo risonho; gírias estranhas. E o melhor, com certeza o melhor: Nem posso chamar de cantada, pq era tímido demais pra isso... O seu jeito adolescente que me conquistou pra sempre....

Ai gente! Ficou meloso demais né? Pra um post tão rock n roll...

Desculpa aí. Vou me retirar.

ps pro rafa_korn: te amo.

Rafael Zanatta disse...

Meu Deus, como eu era tosco.

prisci disse...

hahahahahaha :* quem não era tosco no ensino médio, que atire a primeira pedra...

Eu não troco aquela época por nada :)

Bruno Vicentini disse...

Era BAR DO VELHO, meu nego! Tá esquecido! Escarra nesse processo civil que te beija!

Eu vi umas fotos hoje dessa época que PUTA QUE PARIU, seu irmão trouxe aqui no HD externo, quanta juventude.

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação