Uma noite pra ser lembrada

Nossa, que noite especial foi a de ontem. Charme Chulo (de Curitiba) no MPB Bar, casa cheia, muitos amigos, muita gente bacana que eu não via há tempos, Heineken gelada, viola caipira, músicas cantadas em coro, empolgação, guria louca sendo retirada da balada, homenagem a Michael Jackson, bate-papo com a banda, CD de presente autografado, risadas e pastel na feira do produtor as 05h da manhã.

Tudo começou no Bar do Zé (o lendário Bar do Tevez ali na Duque de Caxias), tomando umas cervejas pra aquecer (ou resfriar ainda mais a garganta já prejudicada pelo inverno bacteriano de Maringá). Combinamos com o Bruninho e a Rannah de tomar umas cervejas antes do show pra economizar lá dentro, considerando os altos preços de qualquer casa noturna.

Depois de uma hora no boteco, fomos pro MPB e nos deparamos com uma bela movimentação dentro e fora do bar. A casa estava começando a encher. Já na fila encontramos vários amigos e recebemos um convite pra irmos para a cidade de Paraíso do Norte, onde vai rolar o festival Paraíso do Rock no dia 11 de Julho com as bandas Relespublica, Nevilton, Zeferina Bomba e Wander Wildner.

Depois de entrarmos, encontramos uma mesa com quatro lugares vazia do lado de fora. Era a única vazia. Realmente, um achado! Sentamos e o garçom amigo já começou a servir a Heineken de 600ml na mesa. Eu sei que estava R$ 5,00 a garrafa, mas lembra daquele papo de que bêbado não tem noção de orçamento (comentei aqui neste blog recentemente esse assunto)? Pois então, a noite inteira seguiu essa linha nada inteligente de raciocínio.

O bar começou a encher pra valer, com uma galera do rock mesmo. Era notável que não tinha quase ninguém ali só pra pegar uma balada (aqueles caras perdidos que nem sabem que festa é, só entram porque está cheio). As pessoas sabiam que era uma festa do Junho do Rock, conheciam a banda Charme Chulo e curtiam o som. Como era de se esperar, rapidamente os ingressos de R$ 10,00 acabaram, e gente que tinha "reservado" os convites (naquele esquema, segura pra mim aí) acabou ficando sem opção: tinha que pagar R$ 20,00 pra entrar. Foi o que aconteceu com o Gaba e a Lizandra. Infelizmente, acho que eles não entraram. Uma pena, porque são pessoas que mereciam estar lá curtindo.

A banda começou a tocar depois de 01h da manhã, com um público completamente animado na frente do palco. Definitivamente, como tinham me falado, o Charme Chulo faz um puta show de rock.

Depois de dois anos ouvindo a banda, finalmente pude cantar as canções do primeiro CD da banda. Grandes músicas como Piada Cruel, A Caminho das Luzes Essa Noite (que foi inspirada em Maringá, como disse Igor antes de iniciar a canção), Solito a Reinar, Barretos, Mazzaropi Incriminado (que talvez tenha sido o ponto mais alto do show, com muita gente cantando), Não Deixa a Vida Te Levar, Amor de Boteco e Polaca Azeda (que fechou o show), foram executadas em meio às músicas do novo CD, além de uma versão rock de Moreninha Linda (Tonico & Tinoco) e uma sublime versão de Chora Viola (Tião Carreiro & Pardinho).


A banda demonstrou muita personalidade. Além da própria musicalidade única que o Charme Chulo propõe, que é a mistura de elementos da música caipira com o rock da década de 80, eles têm um guitarrista/violeiro muito seguro e criativo (Leandro Delmonico), um baixista muito competente e consistente (Peterson Rosário), um baterista rock'n'roll com muita pegada (Rony Jimenez) e um vocalista extremamente carismático, com muita presente de palco, que de fato canta o que escreve com alma (Igor Filus).

Quanto ao show, eu, que comecei lá no fundo da galera durante a primeira música, fui me aproximando aos poucos com a Priscila, até chegar de frente pro palco durante a terceira ou quarta música. Ali, deu pra sentir toda a energia da galera e das músicas.

Quase no final da apresentação, o Leandro falou que a banda ia homenagear o Michael Jackson tocando Billie Jean, mas alguém da platéia teria que subir no palco e cantar. O prêmio seria um CD da banda. Na hora, o Bruninho bateu no ombro:
- É você, cara. Você é o cara que tem que subir lá.
Fiquei inseguro. Afinal, não é mole subir no palco e cantar Michael Jackson. Poderia ser a coisa mais ridícula do mundo ou poderia ser algo divertido. Confiei que seria a segunda opção.

A banda então chamou: "Sobe alguém aqui pra cantar Michael Jackson". Senti os empurrões da Pri e do Bruno nas minhas costas e subi no palco num pulo. A galera do bar estava aplaudindo e assoviando pra caramba. O Rony puxou a bateria, com aquela tradicional linha de baixo de Billie Jean. Eu mal conseguia me ouvir, mas mesmo assim comecei a cantar e o pessoal foi ao delírio ao ver que eu realmente sabia cantar a música (sabia a letra)! Porque a proposta da banda era: "Sobe alguém aqui pra cantar no embromation!". Mas eu, de fato, sabia a letra de Billie Jean porque eu comprei o álbum Thriller em Londres e li o encarte uma vez ou outra. Bom, ao perceber que tinha outro cara comigo no palco, eu passei a vez pra ele cantar o segundo verso, mas ele não sabia a letra. O pessoal, de cara, o vaiou e então fui puxado pelo cachecol pra voltar ao microfone. Cantei o refrão, sentindo a alegria da moçada. A banda parou, todo mundo aplaudiu
a brincadeira, e então eu clamei:
- Vamos ouvir Charme Chulo, pelo amor de Deus.

Agradeci muito o Igor, falei algumas palavras de consideração pela banda e peguei o CD (valeu a
pena o mico!). No final do show, fui lá bater um papo com a banda. Conversei bastante com o Igor e o Peterson. Foi realmente bacana conhecer os caras. São todos muito
simples. Boas pessoas.

No banheiro, também tive aquela tradicional "conversa de mijada", na qual você enquanto utiliza um mictório conversa com alguém em outro mictório (ambos conversando com a mão no badalo), com o baterista da banda, o Rony. Essa conversa de mijada é algo exclusivo do universo masculino. Aposto que não existe esse fenômeno de comunicação nos banheiros femininos. Não existe contato visual com cada pessoa numa cabine. Bom, ele deu muita risada falando que não espera no palco alguém que soubesse cantar Billie Jean.

Depois do show, ficamos lá fora tomando mais Heineken e conversando (eu, Pri, Bruno, Rannah, Benites, Thiago, Maíra). Ficamos até o bar quase fechar. Estávamos quase sendo expulsos do recinto, quando o Thiaguinho falou:
- Vamos comer um pastel na feira? A gente tá indo lá.

Cerveja dá fome. Nem pensamos direito, entramos direto no carro e fomos para o Estádio Willie Davids, onde ocorre a feira do produtor no sábado de manhã. Era apenas 04h e pouco do manhã, mas mesmo assim o Pastel do Paulo já abre, pra pegar essa parcela de bêbados na noite atrás de pastel. Esse pessoal do pastel é esperto. São empreendedores!

Não sei porquê, mas o Bruno e a Rannah ainda tomaram um café no pastel! Não sei se era pra corter o álcool, ou porque pastel de feira de manhã não é pastel de feira sem um café.

Nos despedimos, a Pri ainda iria trabalhar algumas horas depois e o Thiago e o Benites iriam para Curitiba assistir ao show do Jorge Ben. Que privilégio, não?

Encerramos assim, da forma mais típica do interior do Paraná - com pastel na feira do produtor, uma grande noite maringaense. Com viola, rock, cerveja, alegria!

Forte abraço, amigos leitores! (ontem descobri mais gente que lê esse blog, como o Renatão do Prof. Astromar & Os Criadores de Lobisomem! Abraço, Renatão!)

7 comentários:

Bruno disse...

pô, cafézinho firmeza da feira! não tem nada demais! HAUAUIAHA! cara, a noite foi demais! sensacional, de verdade, devo muito a você, a galera toda também tava num sentimento fraterno, só diversão.

Charme Chulo é disciplina! o>
Paguei muito pau pra escolha e pra versão do cover. (no vídeo dá pra ver a mina tchunai! caraio)

"é você, cara!"

Marco (tortillas de merengue) disse...

Po, e eu perdi essa bocada por falta de verba hahahah me fudi!

Continuam muito bom seus textos bicho,
vá em todos os shows de maringá e comente por aqui! hahahaha TA BOMBANDO!

Abraco ae zanatta.

Marco (tortillas de merengue) disse...

Po, e eu perdi essa bocada por falta de verba hahahah me fudi!

Continuam muito bom seus textos bicho,
vá em todos os shows de maringá e comente por aqui! hahahaha TA BOMBANDO!

Abraco ae zanatta.

flávio sonic disse...

mandou muito bem no michael jackson hein
=)

abs

flávio

menino tenso disse...

pô, foda. vintão ia quebrar a firma, né... daí acabamos economizando indo no car wash, depois juscelino e depois indo comer no mac, de táxi. mas boto fé que o show foi legal e a nata do rock maringaense representou COMO SEMPRE.
Te Adoro, Migo!

Rafael Zanatta disse...

daí acabamos economizando indo no car wash, depois juscelino e depois indo comer no mac, de táxi

AEHAUOHAOEUOAHEUOAHUOEUOHAUOEAUEHAUOEHAEHAUOHEAHUEOAHEUOAUEHAUOEHAUO

rannah disse...

"charme chulo com participação especial de rafael zanatta"

show memorável! e pastel com café é um manjar dos deuses!

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação