O primeiro concurso depois do retorno

Eu comentei em posts anteriores que tinha feito um concurso pro Departamento Jurídico da Caixa Econômica, não?

Pois bem. Há duas semanas fiz o tal concurso, o primeiro depois do retorno ao universo jurídico que contou com uma bela pausa de uns 14 meses.

Engracado como o acaso funciona. Foi numa manhã qualquer que vi o panfleto com poucas informacões lá na sala de aula: "Estágio remunerado; inscricões de 25/03 até 05/04 - 1kg de alimento; Av. Paraná c/ R. Néo Alves Martins, Ed. Marquisini 3. andar". Numa sexta-feira, antes de ir dar aula de inglês passei lá na casa do meu pai e peguei 1 kg de feijão e fui pro escritório fazer minha inscricão. Pensei: nada melhor que um concurso desses de estágio pra voltar à velha forma!

Fiz a inscricão e a prova ficou marcada pra sexta-feira seguinte. O conteúdo seria Dir. Civil, Dir. Processual, Dir. Constitucional, redacão e lógica. O final de semana passou e fiquei tranquilo, nem lembrei de estudar, mesmo sendo conteúdos que necessitavam de uma boa revisão (conteúdos que eu não via há 2 ou até mesmo 3 anos).

A outra semana comecou e descobri que vários amigos já tinham feito ou estavam fazendo esse estágio. O Odácio (4 ano), e o Bugila, Cesinha, Samir - galera que tinha estudado comigo antes de eu trancar o curso. Descobri também que o estágio paga muito bem (R$ 640,00/mês) e que muita gente tinha feito a inscricão, algo em torno de 140 pessoas pra uma vaga. Nossa! Daí eu desencanei: fui escolher logo esse concurso pra fazer e tá cheio de inscritos, todo mundo concorrendo pra uma só vaga.

A semana passou e eu nem toquei nos livros de Civil, Processo e Constitucional. Continuei estudando o Direito Inglês e a história do Precedente (temas do grupo de estudos que estou participando com o pessoal do quinto ano). Quinta a noite fui tomar um chopp no To-a-Toa com a Pri e só lá, na mesa do bar, fui me tocar que prova seria em poucas horas no próximo dia. Não esquentei, refleti: "não estudei nada até agora, de nada vai adiantar virar a noite lendo essas matérias".

Dormi, levei a Pri na UEM e fui pro prédio onde seria a prova, na Av. Carneiro Leão. Entrei cheia sala, cheia de inscritos e concorrentes. Avistei alguns colegas, a Laurinha e um carinha de São Paulo que esqueci o nome. Sentei ao lado deles. Minutos antes da prova, a Laurinha me cutuca:
-Zanatta, você conhece a Lei dos Recursos Repetitivos?
-....Hum...não, nunca ouvi falar.
-É o tema da redacão.
-...(cara de espanto)...
_...(cara de tacho)...
_...fodeu.

Fiz a prova no raciocício lógico-juríco, tendo incerteza em quase todas as questões. Mas fiz. Refleti muito sobre o tema da redacão, gracas a um texto de apoio (que esclareceu do que se trata a Lei de Recursos Repetitivos). Escrevi sobre os Precedentes (tema que estou estudando), cortes inglesas, italianas e brasileiras.

Saí da sala, dei carona pruma colega que estava indo pro mesmo lado que eu e esqueci do concurso. Meu pai me perguntou naquela semana:
-E aí filhão, como foi o concurso do estágio?
-Ih Pai...fui meio mal. Nem tô com esperanca, foram 150 inscritos pra uma vaga.
-Certo...

Bom, estava tranquilão em casa uma semana depois e o Bugila me liga:
-O Zapa! Você ficou em segundo no concurso! Tirou 8,5 na prova objetiva!
Putz, não acreditei. Que coisa incrível. Não sei se foi sorte ou se eu de fato estou dominando as matérias que vi em anos anteriores (o que seria ótimo, pensando já no Exame da Ordem daqui dois anos). Bom, acho que foi uma mistura louca.

Fiquei muito feliz e várias pessoas vieram me chamar de CDF, inclusive as meninas da primeira carteira da minha sala. Eu me mato de rir por dentro, porque eu não sou aquele padrão de cara estudioso. Eu tenho concentracão ao assistir uma aula e um bom raciocício, mas eu como estudante (daqueles que pesquisam e leem todos os livros em casa) deixo muito à desejar.

Se não bastasse, hoje veio uma nova surpresa. Corrigiram as redacões dos 20 primeiros e a minha ficou com 9.5, me dando média 9,0 e me deixando em primeiro lugar no concurso - uma alegria imensa! Mais gente veio falar comigo hoje e parece que lá no quarto ano tá todo mundo sabendo que o cara que ficou um ano fora do país passou em primeiro no concurso da Caixa. HAHA!

Bom...eu sempre fui bem em vestibulares, provas, etc., porque eu não me preocupo com testes/concursos. Prova é prova, não é nada demais. E apesar do nome, não vai te provar nada, não vai medir seu conhecimento. O que as pessoas não entenderam é que é preciso ter calma, tranquilidade. E pensamento positivo, porque eu estou comecando a estranhar o fato de tudo que eu fiz na minha vida com pensamento positivo e tranquilidade ter dado certo.

Fica então a dica.

E em breve volto com novidades do concurso, porque Sexta-feira é a entrevista, as 14h00m com as advogadas do departamento jurídico. Se eu for contratado, prometo que pago uma grade de cerveja e dou uma festa!

3 comentários:

Rochera disse...

Que mentira.. ficou a noite
Foi tomar chopp só na sexta lá no to a toa..
huahuauhahuahua
mas que massa benino!
tomara que de td certo lá na entrevista!!!
e tô esperando meu chopp com o salário de estagiário!!

prisci disse...

sou prova viva de tudo o que esta escrito!

fiquei meio puta com o rafa quando ele me disse quinta a noite: nossa o concurso eh amanha! O que me deixou tranquila foi que a incricao custou 1kg de alimento. sempre acreditei no rafa e na sua capacidade, mas quando ele disse que nao estudou e tinham 140 candidatos, logo desanimei e pensei, tomara que eles chamem uns 15 pra entrevista neh rafa?
quando ficou em 2o, foi soh alegria, e em 1o entao... ooooorgulho de menino.

te amo, parabens pela vitoria!
Rumo ao hexa!

Thiago Paiva dos Santos disse...

Parabénssss!!!

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação