Dos 1001 discos para ouvir antes de morrer

OPA!
Até esqueci de comentar aqui que já faz mais de uma semana que chegou o livro "1001 DISCOS PARA OUVIR ANTES DE MORRER", capitaneado por Roberto Dimery com parceria de 90 críticos musicais. O livro é um tesão, um belo investimento.
Mas lembram-se quando postei aqui que seria a maior tragédia encontrar um álbum da Christina Aguilera? E NÃO É QUE TEM ESSA MERDA!?????

FIQUEI FODIDO DA CARA! O álbum em questão é o "Back to Basics" de 2006. Segundo a crítica o disco está cheio de prazeres ainda menos previsíveis e que Christina faz uso das vozes que gostava de imitar quando criança - de Billie Holiday a Ella Fitzgerald.

Não vai ter jeito, vou ter que baixar esse bendito álbum para ouvi-lo e ver se é digno de estar nesse livro ou se injetaram algum "jabá" na mão dos editores para colocar esse álbum como um dos poucos de 2006 na lista.
Mas mudando de artista, não vim aqui falar disso. Vim falar do primeiro álbum que baixei através do livro. Decidi baixar os álbuns aleatoriamente, sem nenhuma ordem cronológica. Simples assim: abre uma página na doida, o que cair eu baixo e ouço!

E brincando desse joguinho divertido, caiu o primeiro álbum:


"What's Going On", de 1971.

Que delícia de audição. Achei um álbum extremamente religioso, onde o Gaye assume quase um papel de pregador da Soul Music. As letras, quase todas sobre redenção, indignação, questionamentos sobre o amor, sobre a fé da humanidade. O instrumental é suave, um jazz com influências de ritmos latinos, negros, e aquele velho grooveado tão típico de Marvin.

As músicas parecem se completarem. "What's Going On" e "Inner City Blues" iniciam e fecham a pregação de Marvin. Uma pregação rápida, de menos de 40 minutos.

Um álbum que merece a atenção de todos os homens e mulhres sensíveis (os realmente humanos) desse planeta.

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação