O discurso jurídico

Lendo a brilhante tese de doutorado de Frederico Almeida (FFLCH/USP) sobre a "nobreza togada" (a existência de um campo político da administração da justiça estatal e suas respectivas elites institucionais, profissionais e intelectuais), deparei-me com uma passagem de uma das obras do sociológico francês Pierre Bourdieu sobre o discurso jurídico, a qual gostaria de compartilhar aqui.


"As práticas e os discursos jurídicos são, com efeito, produto do funcionamento de um campo cuja logíca específica está duplamente determinada: por um lado, pelas relações de força específicas que lhe conferem a sua estrutura e que orientam as lutas de concorrência, ou, mais precisamente, os conflitos de competência que nele têm lugar e, por outro lado, pela lógica interna das obras jurídicas que delimitam em cada momento os espaços dos possíveis e, deste modo, o universo das soluções propriamente jurídicas".

Pierre Bourdieu, O Poder Simbólico. 10ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007, p. 211.

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação