"O rapaz foi preso e eu não tô vendo nenhum protesto!"

O Palácio do Planalto declarou toda solidariedade ao Wikileaks. O Presidente Lula (já no final de seu consagrado mandato) manifestou-se hoje durante evento que avaliou os quatro anos de execução do Programa de Aceleração do Crescimento.

Lula se referiu a Julian Assange como "rapaz" e questionou a estranha falta de discussão na grande mídia acerca da bizarra prisão de Assange por crimes sexuais - o que levanta a hipótese de que há uma clara perseguição política aos membros fundadores do Wikileaks.



Como discuti aqui no blog nos últimos dias, não vejo nada de estranho nesse silêncio dos jornais e da televisão. As grandes corporações são todas estadunidenses, país que declarou guerra ao movimento anti-censura e de livre expressão deflagrado por Assange.

Na Inglaterra, somente o The Guardian (um dos jornais que divulgou os documentos publicados pelo Wikileaks) tem debatido os motivos políticos da prisão de Julian. Os outros evitam tocar no assunto.

Hoje, o governo Russo sugeriu que Julian Assange seja nomeado ao Prêmio Nobel da Paz. De acordo com a nota publicada pela assessoria do Presidente Dmitry Medvedev, "Public and non-governmental organisations should think of how to help him".

O Brasil já fez sua parte. Ou, pelo menos, o Governo fez.

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação