Murilo Corrêa e a política da imanência

"O PSDB/DEM, com seus signos oficiais e não-oficiais, está em guerra franca contra as instituições democráticas e os grupos minoritários. Combatem a liberdade de expressão (sempre interpretada como censura), o direito de defesa (sempre interpretado sempre como agressividade gratuita), os homossexuais (“Dilma é lésbica”), os ateus e aqueles que confessam outras práticas religiosas (“Dilma não é cristã”), os estrangeiros (“Ela é búlgara...”), as mulheres (“Ela não vai dar conta”), a história (“Dilma é terrorista”)... Jesus não é a verdade ou a justiça. A verdade e a justiça são a libertação do medo que oprime e do obscurantismo que teima em retornar; mas “o mesmo”, dizia Deleuze, só o veremos uma vez. Isso não garante coisa alguma: apenas suscita a responsabilidade de escolher entre sermos livres, conduzindo-nos pela esperança, ou se cederemos, uma vez mais, ao afeto negativo, aos buracos-negros, do terror, do ódio e do medo".

Leia mais no blog do autor, A Navália de Dalí.

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação