Jogos Inter Atléticas: uma análise reflexiva

O Braguinha (presidente da Atlética de Administração e grande amigo) que me desculpe, mas não consigo olhar esses Jogos Inter Atléticas (JOIA) com bons olhos. Não é nada contra a prática de esportes e a integração acadêmica que ela proporciona. Existem pessoas ali dispostas a trabalhar voluntariamente para algo que elas se sentem incluídas (e a teoria de Dan Pinks sobre motivação é perfeitamente aplicável aqui). Não há nada de errado ou de medíocre nisso. Afinal, é inerente ao homem querer fazer parte de algo, sentir-se membro de um grupo ou coisa do tipo. Aliás, fazer parte de uma Atlética pode acrescentar muito na vida de um universitário, pois fomenta o espírito coletivo, de convivência social - essencial para combater o individualismo imposto pelos consenso (Gramsci), essa super-estrutura do capitalismo hegemônico que nos dita um único estilo de vida (neoburguês?). É crescente o número de pessoas preocupadas com o próprio umbigo e suas formas de lazer-em-miniatura portáteis, como celular, iPod, twitter, notebook, etc (e eu mesmo me enquadro, relativamente, nesse precário perfil). 

A Atlética rompe com esse individualismo e proporciona integração esportiva e festas - excelentes oportunidades para a troca de idéias e o convívio. Ok. Ponto para as Atléticas.

Esclarecido esse ponto inicial, vamos analisar os Jogos Inter Atléticas, pois esse é o objeto de análise do post.

Em primeiro lugar, nós sabemos que as Atléticas são associações entre particulares sem qualquer filiação com as Universidades que representam. Por exemplo, a "Associação Atlética de Direito", criada em 2005, não tem nenhuma ligação formal com a instituição, sem precisar seguir qualquer regulamentação prévia. O Estatuto/Regulamento foi criado pelos alunos livremente. De fato, cada Atlética tem sua forma de gestão (prestação de contas, eleições, utilização dos recursos, etc).

As Atléticas, em sua maioria, possuem regras de gestão, eleição e utilização de verbas exclusivamente para fins expressos no estatuto, apesar da constante discussão acerca da transparência da utilização de tais recursos. Por ser um fenômeno organizacional recente, não há nada muito rígido sobre o controle de gastos destas Associações Atléticas. Os assim chamados "associados" (alguns pagam taxas fixas mensais) simplesmente confiam nas pessoas que possuem cargos de direção, o que não fere nenhuma lei ou princípio legal, pois as Atléticas não recebem dinheiro público, como os Centros Acadêmicos. Todo o dinheiro injetado nas Atléticas vem dos próprios membros e associados.

Mas quando se trata de um evento da proporção dos Jogos Inter Atléticas, falamos de algo muito mais abrangente em termos financeiros. Em termos de organização, logística e capital, é algo incomparável com as festas e cervejadas que cada Atlética promove dentro de seus respectivos cursos.

A julgar pelo vídeo promocional dos Jogos Inter Atléticas desse ano, o evento é direcionado a 4.000 universitários, incluindo os 1.500 "atletas" que disputam os jogos.



Por trás da válida excitação universitária em torno dos jogos (suas baterias bem ensaiadas, gritos de torcida, alegres hinos que parafraseam hits do funk carioca e atletas que levam o esporte a sério), há um enorme empreendimento envolvendo as festas e a organização do evento - e é esse o ponto chave.

Analisando o site oficial do JOIA, as festas parecem ser mais importantes que os jogos. São duas festas "oficiais", uma dia no dia 14 (que foi ontem) e outra no dia 21, todas Open Bar (tendência atual das festas universitárias de cobrar um valor fixo para entrada, incluindo já toda e qualquer bebida consumida).

E realmente é de se tirar o chapéu a enorme variedade de bebidas gratuitas nas duas festas "oficiais" dos Jogos Inter Atléticas (José Cuervo, Orloff, Skyy, Jurupinga, Brahma, Vinho, Cachaça Companheira, Refri, Água, Catuaba). Há um planejamento minucioso para prever a quantidade de bebida que será consumida nesses eventos.

O que chama atenção também são as atrações musicais das festas dos jogos, que representam muito bem o atual estágio de entretenimento universitário barato. Ali, constata-se o que eu chamo de "triângulo do entretenimento alcoolizado", que abrange quase toda a parcela de estudantes. Repare, as duas festas tem: i) Sertanejo Universitário; ii) Funk Carioca; iii) Micareta Carnavalesca. E não é só a festa do JOIA, mas toda e qualquer festa universitária de grande proporção. Não culpo os organizadores, eles apenas seguem uma tendência do mercado. É o que dá gente, é o que lota, é o que dá dinheiro. Colocar qualquer atração cultural diferenciada seria uma afronta ao espírito "só quero beber muito e zoar" dessas festas.

A festa de ontem, por exemplo, teve Tequileiras do Funk (segundo o site, "um grupo de dançarinas charmosas, sensuais e totalmente ousadas"). Basta você saber que o grupo é responsável pelo hit "Surra de Bunda" - uma das coisas mais bizarras que vi em toda minha  breve existência.



Eu dispenso maiores comentários. Voltemos à análise dos Jogos e de suas festas.

Até o momento não sei quem organiza tais festas e para onde vai para todo o dinheiro ali arrecadado. O máximo de informação disponível, tanto no site do JOIA quanto na comunidade do evento no Orkut, é o seguinte: "Promoção: Liga Desportiva das Atléticas" e "Realização: Euphoria Marketing e Eventos". Mas afinal, o que é a Liga Desportiva das Atléticas? Seria uma associação formalizada composta pelos membros de cada Atlética? Não sei. Talvez algum leitor possa me responder e acabar com minhas dúvidas.

O que me parece claro é que há um certo lucro na realização de tais festas, não é possível imaginar que essas festas apenas "se paguem". Tomo por base os R$ 35,00 cobrados de cada universitário para cada festa oficial do evento. Segundo os próprios dados fornecidos no vídeo promocional, o público estimado é de quatro mil universitários. Ora, se todos vão as festas oficiais (e eu aposto que quase todos vão, pois querem fazer parte do evento, querem se sentir incluídos), então temos uma arrecadação de uns R$ 140.000,00.

É claro que existem gastos, como o local do evento (OutMaringá), as bandas (se bem que essas duplas sertanejas tocam apenas pela publicidade, e as Tequileiras do Funk não me parecem ser artistas respeitadas com elevados cachês), a porcentagem da empresa que realiza o evento (Euphoria), os seguranças do evento e as bebidas ali consumidas. Mas não consigo acreditar que toda essa organização, esse marketing, essa logística, os contatos com as prefeituras para a concessão das quadras, todo o trabalho, enfim, tudo seja feito pelo amor ao esporte e a integração acadêmica.

Esses eventos são verdadeiros empreendimentos e estão maiores em proporção a cada ano. Minha indagação, em última análise, é a seguinte: quem está por trás disso tudo?

É visível que os Jogos Inter Atléticas não são apenas jogos universitários, mas tornaram-se a galinha dos ovos de ouro para muita gente inteligente, que viu ali uma oportunidade incrível de negócios e lucro.

Meus parabéns.

7 comentários:

Andressa Andrade disse...

Zanatta, ótimo post. Eu também partilho das mesmas dúvidas...

guilherme disse...

rafa, concordo plenamente com tudo o que voce escreveu!
mas vou explicar as duas coisas que voce não entendeu ali..

-Liga Desportiva das Atléticas é a "Comissão Organizadora" do JOIA, ela é formada pelos diretores de cada atlética que participam da organização do JOIA de cada ano.

-Em relação as festas acontece o seguinte.. A Euphoria é uma empresa que só realiza eventos universitários é comandada pelo Batista e pelo seu já conhecido João Vitor. Eles perceberam que as festas universitárias são altamente lucrativas e assim passaram a investir neste ramo.
O que acontece no JOIA é que as festas são "independentes" dos jogos, todos os Jogos geralmente são separados da festa, tanto que não há nada no estatuto relacionando-os com as festas, há uma licitação, ou seja, uma escolha da empresa que irá realizar os eventos e assim toda a organização dos eventos é com eles, porém, os únicos que podem vender convites são as atléticas envolvidas e ai entra o "repasse" que é uma porcentagem de retorno que as atléticas ganham em cima de cada "pacote" (convite para as duas festas) vendido. Quanto mais pacotes/convites voce vende, maior o seu repasse.

Não culpo a empresa Euphoria de ganhar dinheiro pelas festas universitárias, afinal, as festas que eles realizam são realmente muito boas (não as atrações! surra de bunda, puta merda! ahhaha), mas é importante levar em conta que eles realizam um ótimo trabalho e, infelizmente rafa, é o que a maioria dos universitários gostam.. eles souberam observar isso como uma forma de ganhar dinheiro e SIM estão ganhando MUITO dinheiro. Na verdade, eu acho que os atrativos da festa não são as atrações e sim a quantidade de gente e a variedade de bebidas, ninguém fica ouvindo as "bandas" nessas festas, é o que voce falou, vão mesmo pra "tiobillar"! ahhahahaahha

Já relacionando com o Farofa Carioca, que é uma banda do caralho! Tocaram uma sonzera, um puta show! só que não deu quase ninguém no evento. Me encontrei com o Preto (organizador do evento) naquele dia e conversei sobre essa "falta de cultura" se assim posso dizer, fiquei com uma frase dele na cabeça que ele falou...
"Se eu botasse uma duplinha qualquer de 400 reais ai.. isso aqui explodia de gente e eu ia ganhar um monte! mas voce contrata uma puta banda renomada por 16.000.. e toma fumo..."

Mas denovo, tirando estes pontos esclarecidos ali, concordo com tudo o que voce falou. ótimo post!

Rafael Zanatta disse...

Braguinha, muito obrigado pelo comentário esclarecedor!

Não sabia que as festas eram eventos por fora do JOIA, digo, sem vinculação direta com o evento.

Mas os caras estão de parabéns, são os empresários do ano. Minha humilde função, como espectador e (pseudo)crítico é tecer alguns comentários para registrar esse momento histórico na vida de todos nós.

Um abração!

Anônimo disse...

primeiro vídeo: braga aos 3:40 com o dedinho pra cima. hahahahha
massa!

guilherme disse...

cara, como voce me viu ali!
AHHAHAHAHHAHAHHAHAH

Michel Roberto disse...

eu tive que subir!
lá no alto!
para ver!!!
energia racional!!!

guilherme disse...

xe-xela assim voce me assusta!
comque? comque? comque?
com essa fota!


("sneducla" isso lá é uma palavra?!)

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação