Sobre Paulinho Schoffen & Chico Buarque

No dia 11 deste mês rolou o Cottonet Clube no Teatro da UEM, com Paulinho Schoffen & Banda homenageando Chico Buarque.

Este vídeo, publicado hoje no blog Luciano Blues (gaitista da banda), é de Samba & Amor, musica que inclusive foi reprisada no bis que a banda fez na segunda sessão (a das 21h30min, que eu estava presente).


Bom, eu tinha alguns comentários a fazer, os quais não fiz em momento oportuno (após assistir ao show). Mas com esse vídeo, fica ainda mais fácil comentar agora a respeito da apresentação e você entenderá meus argumentos assistindo à gravação acima.

Pois bem.

Primeiro, devo dizer que o repertório foi excelente e que a equalização do som estava ótima dentro do teatro.

Segundo, a banda destruía demais. Luciano Blues (baixo, cavaco e voz), Teodoro (guitarra com muita pegada blues também) , Sérgio Cintra (um senhor de muito calibre) e o baterista Macarrão (que esbanjou técnica) fizeram um regaço no palco. Quebrada de tempo, mudanças de ritmo, introduções e conclusões ensaiadas, estava tudo uma beleza.

Terceiro, as participações do Novo Trio e de Ronaldo Gravino (que cantou "O Que Será" e que, por incrível que pareça, produziu o disco do Frank The Tank em 2006) foram espetaculares e talvez tenham até roubado a cena, conforme alguns comentários fora do teatro ao fim do show.

Tudo muito agradável, uma noite de boa música.

Só tem um porém.

Paulinho Schoffen, que é bom cantor, não combina com Chico Buarque. E o argumento é simples.


Chico Buarque tem uma voz chinfrim (vide o texto sobre o próprio de semanas atrás). Paulinho Schoffen tem voz encorpada, grave, com timbre típico de MPB.

E pra cantar Chico e ficar bacana mesmo tem que ter aquela voz chinfrim. Aquela voz de quem não canta muito, aquela coisa meio cantor malandro que mais toca do que canta. Aquela coisa meio tímida, que beira o desafinado.

Acabou que a técnica de Schoffen não combinou com o canto genuíno e falho de Buarque.

Mesmo assim, foi uma bela homenagem.

E que Maringá possa servir de palco para a boa música, levando à sério o título de Cidade Canção.

7 comentários:

Luciano Blues disse...

Obrigado pelo seu comentário em meu blog, Zanatta. Acabei de atualizá-lo com outro vídeo no mesmo post.

Só algumas correções quanto à banda: No baixo era o Sérgio Cintra e eu toquei gaita e cavaco. O baterista é conhecido como "Macarrão", eu não sei se ele é o Marcos que você citou, rs.

Pra mim tem sido um desafio em especial sair do blues para tocar música brasileira, principalmente Chico, que é quem menos conheço musicalmente.

De minha parte o nervosismo foi grande, mas tentamos tocar com responsa.

Logo o Paulinho deve vir com mais boas surpresas e estaremos lá. Se não tocando, ao menos prestigiando o amigo de quem sou fã.

Paulinho Schoffen disse...

[b]Valeu Rafael!!agradeço muito o comentário no seu blog!Fico feliz de ter alguém prestando atenção em tudo no show! o repertório foi mesmo escolhido com um cuidado extremo! E procuramos mudar o arranjo de maneira a não estragar a música! Cara! mas vou confessar , eu acho o Chico um baita cantor, inclusive prefiro ele a muitos intérpretes de suas músicas (incluindo esse que escreve), não consigo achar a voz dele ruim . As participações foram realmente especiais, tanto o Novo Trio e o Ronaldo Gravino são artistas talentosíssimos e amigos, e eu acho que e minha obrigação mostrar esse talento o máximo que puder. Sem falar dos Músicos: Luciano Blues (gaita), Teodoro Toledo(Guitarra), Emerson Neves "Macarrão" Bateria, Sergio Cintra (baixo) que abrilhantaram a noite! Logo vou colocar mais alguns videos, inclusive com os convidados! abraço e Música SEMPRE!!!

Rafael Zanatta disse...

Luciano e Paulinho, fico honrado com os comentários de vocês. O texto foi atualizado com as correções.

Po, e aquele baixista toca muito, hein? Coisa fina!

E lembrando que o comentário foi somente uma opinião pessoal. E fica o registro de minha admiração pelo talento de vocês.

Paulinho Schoffen disse...

Esperamos você sempre nos eventos do COTTONET-CLUBE, afinal opiniões e críticas são bem-vindas!

abraço
Música Sempre!!!

Bruno Vicentini disse...

taí a fera, meu! é brincadeira!

amanhã nos vemos, rafa, abraço!

Michel Roberto disse...

Mais do que nunca, meu! Tanto no pessoal quanto no profissional, tá aí o famigerado Zanatta arrasando com seus comentários sobre a música brasileira maringaense!

Agora, falando sério, também tive essa impressão, tanto nesse vídeo que você postou quanto em outros eventos que fui da Cottonet-Club - eventos muito bons, por sinal - de que a voz do Paulinho acabou por não combinar com a música do Chico. Não sei se foi o arranjo ou a postura do cantor ou ainda a minha visão de Samba e Amor que é um pouco mais calma, algo pra ser cantado dentro do quarto, talvez na cama ainda, logo depois de se acordar com aquela voz rouca, gosto de café na boca e remela nos olhos, com a cidade fazendo aquele barulho lá fora, sei lá.

Mas isso não tira o brilhantismo do projeto, é claro! Valorizo muito essa postura de "Limpe seus ouvidos" e até acho que isso deveria virar um CD maringaense, tipo uma coletânea. Música maringaense sim, mas música de qualidade e não pensar que qualquer coisa que se faça na cidade é música só porque foi feita na cidade canção.

Rafael Zanatta disse...

Música maringaense sim, mas música de qualidade e não pensar que qualquer coisa que se faça na cidade é música só porque foi feita na cidade canção.

Boa, xexela.

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação