II Bienal Borges-Kafka

Ah, se eu estivesse em Buenos Aires!


Dia 19, esta segunda-feira, começa na capital argentina a 2ª Bienal Borges-Kafka, que envolve Literatura, Artes Plásticas, Humor, Teatro, Cinema, Dança e Música.

Segundo o site oficial do evento, "La Bienal Borges Kafka 2010, declarada de interés nacional, es un acontecimiento cultural y artístico organizado por la Fundación Internacional Jorge Luís Borges junto con la Sociedad y Centro Franz Kafka de Praga. Esta Bienal, sin precedentes por ser la primera vez que se realiza en Buenos Aires y la segunda en el mundo luego de Praga, tendrá lugar durante abril y mayo, con un programa de actividades académicas, visitas internacionales, muestras de distintos artistas y experiencias participativas y amenas."

De fato, a bienal reúne dois gigantes da literatura mundial, Jorge Luis Borges e Franz Kafka, tendo sido Borges o primeiro poeta argentino a espalhar seu trabalho no mundo hispânico.

Me permiti uma tradução-livre do site para melhor explicar a importância desses dois e suas relações com suas respectivas cidades, conforme texto disponível da Fundação Jorge Luís Borges: "Do ponto de vista literário, sem prejuízo das três novelas de Kafka (América, O Processo e O Castelo), ambos eram grandes contadores de histórias de contos, até mesmo um único parágrafo. E enquanto o primeiro foi um poeta, o segundo com seus aforismos, é próximo ao gênero. Eles também enriqueceram o significado e a importância de questões como o labirinto, os sonhos do eu e do outro, os espelhos, os vários níveis de realidade e percepção, a tarefa "impossível", a Cabala e novas concepções de ética e as formas comportamento comparáveis ao dos seres humanos - talvez nas palavras de Nietzsche, demasiado humano - e um grande senso de surpresa e até mesmo o inesperado e sem precedentes na vida cotidiana. Além disso, tanto nas suas diferentes formas, tiveram um relacionamento estreito, muito importante e único, com suas cidades de origem: Buenos Aires e Praga. Borges, percebeu que ".. tão eterna como a água e o ar ..." Kafka, sentiu ".. como se fosse uma mãe com garras e não vai deixá-lo escapar ....".

Realmente, Borges e Kafka são gênios indispensáveis na vida de qualquer pessoa.

É preciso lê-los e relê-los. Urgentemente, ainda mais se você não teve contato com alguma obra dos dois.

Corra até um sebo. Com certeza você encontrará algo do poeta argentino ou do brilhante do escritor tcheco.

3 comentários:

Bruno Vicentini disse...

Legal, mas a última frase é falsa, rafa. Não tem nada do argentino nos sebos. Pelo menos não nos de Maringá. Às vezes aparece, claro, mas é uma loteria. Babilônica.

Um abraço, nos vemos amanhã.

Rafael Zanatta disse...

Pô, então eu que dei sorte, pois nas vezes que entrei nos sebos me deparei com Borges, inclusive comprei o Ficções na última ida.

Bruno Vicentini disse...

Foi o que eu disse.

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação