Maringá, rota certa do rock

Que Maringá é a Seatle brasileira é exagero. Mas que a cena rock está em ascensão nesta cidade, está.

Maringá deixou de ser apenas uma referência no cenário sertanejo (sendo o Juscelino uma casa de shows cultuada no interior de Goiás e outros Estados brasileiros), para se tornar um local de referência do rock independente, graças aos diversos esforços realizados por donos de casas de shows, jornalistas, produtores, organizadores de eventos, bandas locais e público.

Prova disto é a inclusão da Cidade Canção no Grito Rock, festival integrado da América do Sul ocorrendo em diversas cidades neste ano.

Além do Black Drawing Chalks, nome de peso em 2009 no cenário nacional (sendo My Favourite Way eleita a melhor música do ano pela revista Rolling Stone), a cidade já recebeu somente nesse início de 2010 a banda paulista The Name, empolgante grupo de pós-punk-dance que fará turnê no Canadá e nos EUA, e ainda receberá Charme Chulo e Nevilton, grandes forças paranaenses.

O final de semana ainda conta com o show da cultuada banda paulistana Ecos Falsos, com cinco anos de estrada e dois discos lançados (Descartável Longa Vida - 2007; Quase - 2009).

A banda é pura irreverência.

Auto-entitulados "a melhor pós-boy-band do mundo", foram elogiados até por Tom Zé na página do Trama Virtual (o que talvez seja até uma brincadeira - nunca se pode confiar nos Ecos Falsos!).

O último disco "Quase" teve boa repercussão nacional e pode ser baixado de graça aqui, no site dos caras.

No ano passado, escolhi o disco como o 8º melhor disco nacional: "Aqui sim estamos falando de uma banda de rock: baixo, guitarras, bateria, vocais. Abrindo com a vigorosa "O Boi", a banda continua com ótimos riffs de guitarra e bons versos na faixa que leva o nome do disco. "Verão de 69" explora os sinterizadores, guitarras dançantes e duas vozes. "Spam do Amor" é simples, mas ganha o ouvinte pela sacada da letra (que beira o tosco). "Café la Petite Mort" mostra a virtuosidade da banda em estúdio. O disco mantém até sua última música bons timbres ("Nós" mistura até trompetes mexicanos) e garante aos Ecos Falsos um lugar entre os grandes nomes do rock brasileiro neste início de década que está por vir."

Ecos Falsos surpreende pelo tom jocoso de suas músicas e pela qualidade sonora. O clipe Spam do Amor rodou a internet, devido à letra da música ("Eu recebo e-mail, lixo à beça / Mas não chega nada de você / Será que o próximo vai ser / O que você me mandou?"). Tosco? Genial? Você que decide.


O que importa é que o show de sábado (27/02) no Trip Tattoo Bar será animado e rock n roll, ainda mais considerando as outras bandas da noite, Loomer e Single Parents e a maringaense José Ferreira, a qual tenho muita admiração.

3 comentários:

Bruno Vicentini disse...

você começou falando da cena maringaense e desviou, mas quer saber? (claro que não! você sabe o que quer) eu acredito que o José Ferreira vai destruir certas paredes (e festas, e casas, famílias) desta cidade. aguarde o disco desses moleques como você aguarda o pedido ousado naquele restaurante que você salvou a grana pra tentar.

um abraço, ou o que você quiser e achar melhor.

prisci disse...

oloco meu, tá aí a fera!

stela disse...

Rafael, procuro muito o livro de Michele Taruffo La motivazione della sentenza civile; onde encontrar ao menos uma cópia?
obrigada
stela
stelaluiza@ufscar.br

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação