Manhã da Prosa


Tirei a manhã pra cuidar da minha cirurgia de amígdalas e do projeto Café com Prosa.

Primeiro, fui até a Unimed e levei a guia de solicitação da minha cirurgia, que será em muito breve. Ficarei mais ou menos uns dez dias de molho, sem comer alimentos sólidos, deitado, mórbido e com dores. Vai ser triste!

Depois fui até o prédio do Rocha e peguei o livro As Intermitências da Morte, do José Samarago, nossa próxima obra do Café com Prosa. Fui até a Copy Fer e deixei o livro para posteriores cópias de membros do grupo. Aproveitei o tempo livre e também fiz um singelo cartaz, que será colado hoje lá no Café Folie da Anlys. Fiz um A3 e três A4. Dos A4, deixei um no bloco D-34 (Direito), um na Copiadora do Centro Acadêmico de Letras e um na Biblioteca Central dos Estudantes. Talvez já seja publicidade mais que suficiente. O projeto também não pode tomar grandes proporções.

O dia hoje passa rápido. Dia corrido. A tarde tem escritório e a noite aula de inglês. Prometi levar o violão hoje para cantarmos Imagine do John Lennon. Nice and easy, isn't it?

É isso. Bom almoço.

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação