Final de semana

O fim de semana passou voando, como sempre. Eu sinto que não só os finais de semana estão passando rápido, como os dias, e eu não tenho feito muita coisa. Não tenho tocado guitarra (nem acredito que estou deixando minha Fender de lado), não estou compondo, nem mesmo fazendo as melodias para as músicas do Renan ("Nanan", que está lá no litoral fazendo músicas incríveis), não estou estudando direito, não estou trabalhando. Estou me sentindo meio inútil. Talvez eu esteja perdendo muito tempo na internet, lendo blogs, lendo sobre música, lendo sobre direito. É uma merda quando você não consegue focar e fica fazendo um pouco de cada coisa.

Mas o final de semana foi bacana. Sexta-feira a gente comprou umas latas de cerveja e ficamos na Pri batendo um papo com o Michel, Babi, Rocha e Lari. No sábado rolou a festa Galourada, do Direito-UEM. Quase 1.000 pessoas numa chácara, com open-bar de cerveja e vodka, dupla sertaneja, funk e pagode. Enfim...tudo que eu preciso pra odiar uma festa: muita gente e música ruim; mas eu acabei gostando, e o fator fundamental foi ter tocado na Bateria Galo Terror que arrepiou todo mundo com os vários instrumentistas.

Sábado passou rápido. Fiquei bêbado cedo e fui dormir cedo. Não guentei ir pra formatura do Giuseppe (Trexi) lá no Buffet Grande Mesa, mesmo com energético e whiskey de graca. Perdi.

Domingo acordei 09h e fomos buscar a irmã da Pri pra comer pastel na feira. Tomei alguns litros de tubaína (devido à ressaca) e um pastel bem gorduroso. Depois eu e a Pri fomos almocar com meu pai num rodízio de massas no balão da Av. Tiradentes. Comi demais - domingo é cheio de excessos. Depois a tarde criei coragem e lavei com a Pri o nosso carro e o carro do pai (como pagamento pelo almoco). Final de tarde encontramos os amigos no Rei do Matte pra tomar um chá gelado e relembrar as histórias apagadas pela amnésia alcoólica de Sábado. Ouvi cada coisa.

Agora a semana voltou, e o calor também. Fui em alguns sebos hoje a tarde atrás de livros jurídicos mas me deparei com precos altíssimos em todos os sebos. Mas que diabos! Não sabia dessa supervalorizacão de obras jurídicas em sebos. Isso é uma putaria, sebo é lugar de livro barato, não de R$ 50,00 num livro usado!

Outro prazer do dia foi rescutar o álbum Pressure Chief (2004) do Cake, que eu não ouvia desde 2007 quando saí do país. Deu saudades de banda de Cake Cover que nós tínhamos aqui em Maringá. Foram bons tempos! Agora os projetos são outros, e eu explico à vocês num momento mais oportuno.

Até mais.

Um comentário:

prisci disse...

isso mesmo.. agora é momento de dar abraços da tonis.. larga esse pc vai.. uieuiheuiheiuhiuhe


amo-te como amo acerolas.

;*
o-ho

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação