XFM WONDERLAND

Faz tempo que eu não falo de música por aqui. Ainda não é hora de falar das músicas que eu ando fazendo por aqui, mas falarei da música dos outros. Sim, bandas legais que estão tocando o terror em Londres e que eu terei o prazer de ver em breve.

Depois te ter feito a maior cagada do mundo, que foi perder o Glastonbury 2008 - o maior festival a céu aberto do mundo e que rola aqui em Pilton, no interior da Inglaterra; que tinha como Line-up simplesmente: Kings of Leon; The Fratellis; Editors; The Gossip; The Feeling; KT Tunstall; The Subways; Kate Nash; Jay-Z; Amy Winehouse; Manu Chao; The Raconteurs; James Blunt; The Verve; Leonard Cohen; Goldfrapp; Neil Diamond; John Mayer; Brian Jonestown Massacre; Panic at the Disco; The Enemy; We are Scientists; Foals; The Hoosiers; Ben Folds; Vampire Weekend; Joe Lean and the Jing Jang Jong; The Rascals; Ida Maria; Massive Attack; Hot Chip; Elbow; Duffy; The Wombats; Neon Neon; Black Kids; One Night Only; Los Campesinos!; e mais, muito mais! - eu comprei os ingressos pra mim e pra Pri par gente ver um Festival de Inverno (a céu fechado, claro) promovido pela XFM, uma das rádios mais bacanas aqui de Londres.


O XFM Wonderland terá cinco bandas no palco, sendo que duas eu gosto muito. A banda carro-chefe é Kaiser Chiefs. A banda foi formada em Leeds (UK) e é hoje uma das bandas rock mais prestigiadas no cenário inglês. O CD de estréia "Employment" de 2005 foi uma explosão de hits como "Every day I love you less and less", "I predict a riot" e "Modern way". A banda não estourou somente no Reino Unido, mas conseguiu prestígio também nos EUA e no Brasil, claro (se não como que eu teria conhecido essa banda há um tempão atrás?).


O CD novo "Off With Their Heads" foi bem recebido aqui. O single "Never Miss Beat" é muito, muito bacana. E pra ser bem honesto com você, eu ouvi várias e várias vezes na rádio essa música e pensei comigo mesmo: "mas que banda anos 80 é essa?". Pensei várias vezes em digitar no google trechos da letra ("what did you learn today? I learned nothing/ what did you do today? I did nothing"), mas sempre acabava por esquecer de fazer isso. Eis que uma bela manhã eu descubro que a tal música anos 80 era do Kaiser Chiefs. Um som novinho, de 2008, mas que pelo teclado retrô no refrão te joga direto duas décadas atrás.


Enfim, Kaiser Chiefs é uma banda que manda bem no palco. Guitarras, refrões explosivos, tecladões estailes, letras espertas. Tô ansioso pra vê-los ao vivo!


A segunda atracão é uma norueguesa que chegou e conquistou seu espaco como uma das promessas do rock pros próximos anos. Ida Maria faz um som cru, guitarra+baixo+bateria, com uma puta voz que te encanta na primeira audicão.

O som é simples, mas bem complementado com riffs de baixo e guitarras cruzadas. Eu diria que é Ida Maria é uma guria porra-louca com espírito Janis Joplin, e uma voz que lembra Bjork, lembra Regina Spektor e lembra Distillers.

Nas letras, ela deixa bem claro que é uma garota perdida, vive bêbada e que sente que pode ser a rainha do mundo, mesmo que por uma noite.

Dos vários álbuns que adquiri em 2008 (seja download ou comprando o disco), Fortress Round My Heart entra fácil na lista dos 5 discos que eu mais gostei. Todas as faixas são boas. Todas. Da mais grudenta/hit "I Like You So Much Better When You're Naked", passando por músicas agitadas como "Morning Light", "Loiue" até chegar em cancões mais íntimas como "Drive Away My Heart" e "Keep me Warm". Eu sei que no Brasil vai ser muito difícil encontrar esse álbum pra comprar, então recomendo o download. Sério, vai ser muito difícil você não gostar desse som.

Eu praticamente comprei os ingressos pro festival por causa da Ida Maria. Quero muito ver se ela é capaz de transmitir toda a energia de suas músicas com a mesma intensidade ao vivo. Porque o CD é foda.



A terceira atracão do festival é uma banda de Londres. Um trio chamado White Lies. O White Lies é mais uma promessa do que uma banda consagrada. Ainda não lancaram nenhum álbum, mas somente dois singles: "Death" e "Unfinished Business". Apesar do curto lancamento de material, a banda já se apresentou no programa "Later with Jools Holland" (meu programa favorito na televisão inglesa), emplacou os dois singles nas rádios e hoje é tida como o novo Joy Division inglês.


Eu vi a apresentacão de "Unfinished Business" e "Death" no Jools Holland e é realmente bom. Um tom sombrio, teclados monotônicos, baixo contínuo, guitarra sutil, duas vozes nos refrões.

Tá todo meio que esperando o lancamento do disco de estréia do White Lies e talvez seja uma coisa grande.


Vai depender dos caras se eles vão se tornar uma das grandes bandas inglesas ou não. Eu recomendo que você veja essa apresentacao ao vivo e veja se a banda promete ou não.

Eu não classificaria como um dos melhores lancamentos de 2008, mas se você é fã de Joy Division e rock britânico anos 80, talvez você ache ótimo.


Bom, completando o Line-up do Festival, está a cantora e multi-instrumentista Pip Brown, conhecida como Ladyhawke (sim, parece que tem um filme com esse nome, mas eu nunca assisti). Ela faz um Electropop que não me agrada muito, porque eu não sou um desses caras "modinha" que curte batidas pops, se achando indie. Ela estourou nas rádios inglesas com a música "Paris is Burning".

Bom. Mérito dela tocar todos os instrumentos no estúdio. Mas essas batidinhas com refrões "You set me on fire!" é demais pra mim.


A última banda participante do XFM Festival é Iglu & Hartly, uma banda americana que emplacou no UK com a faixa "In This City". Pra ser bem sincero, pra mim eles são dois viadinhos (a banda é uma dupla, na verdade) que fazem som pra viadinhos que querem ser mais descolados do que o viadinho que conheceu na baladinha sexta passada. É. Fui bem "machão" no comentário, mas é mais ou menos isso que eu penso. Eita som ruim do cacete.

Bom. Agora só fica a expectativa de ver Kaiser Chiefs, Ida Maria e White Lies daqui duas semenas, numa terca-feira lá em Carling Academy Brixton (ooooh, oh, the guns of Brixton!).

Um forte abraco!

"Is cool to know nothing!"

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação