DOS 1001 DISCOS



'Horses reescreveu as regras sobre estrelas femininas do pop e traçou um novo mapa para todas as artistas, de Chrissie Hynde e Johnette Napolitano a Courtney Love e Liz Phair. E o impacto causado pelo álbum de estréia de Patti Smith não se limitou apenas a um gênero sexual. A cantora combinou o poder do crescente cenário punk de Nova York com as narrativas ousadas dos poetas beat de São Francisco, criando um som verdadeiramente único, que influenciou grupos como o Talking Heads e o R.E.M.


O álbum era uma obra de arte completa, a começar pelo retrato de Smith na capa, maravilhosamente sincero, feito por Robert Mapplethorpe. Horses começa com a releitura total de "Gloria", de Van Morrison, na qual a cantora apresenta um dos melhores versos de abertuda da história do rock - "Jesus died for somebody's sins, but not mine" - e, depois, entra num carroseel vrtiginoso de sons em "Redondo Beach". Sua empreitada de exploração de composições longas é inaugurada neste disco, com um tom dramático, nas epopéias "Birdland" e "Land", ambas com nove minutos. A guitarra urgente de Leeny Kaye é fundamental na construção de faixas como "Break it Up". Mas foi a interpretação singular de Smith, uma mistura dos recitais de Burroughs com o rosnar de Lou Reed, que marcou a diferença entre Free Money e Kimberly e tudo o que havia sido feito antes - e mesmo depois.'


DIMERY, Robert. 1001 discos para ouvir antes de morrer.


Nossa, um álbum realmente muito peculiar. As músicas todas começam de forma tranquila, mas vão ganhando peso e se tornando uma psicose musical, progressivamente e de forma angustiante. As guitarras e o piano trabalham constantemente, dando a densidade necessária junto à voz desafinada, desalinhada e ressaqueada de Patti Smith.


Mais um álbum que vai render muito ainda. Uma das maiores influencias para o jovem Paul Hewson (Bono, U2) e para o resto da banda, que surgiu no pós-punk. Recomendo, amigos! Uma boa audição para um dia depois da cervejada alucinada da república. Cotonete pra todo aquele funk mr. catra/piriguete que ouvimos a noite toda na festa!


Fica o link!

Nenhum comentário:

Mais lidos no mês

Mailing E-mancipação